texto

Armando Queiroz nasceu em 1968 e vive em Belém (PA). Sua produção abrange desde objetos diminutos até obras em grande escala, intervenções urbanas e vídeo-performance.

Detém-se, conceitualmente, nas questões sociais, políticas, patrimoniais e nas questões relacionadas à arte e à vida. Cria a partir de observações do cotidiano das ruas; tem como referência a cidade e o outro.

Foi contemplado com a Bolsa de Pesquisa em Arte do Prêmio CNI-SESI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas 2009-2010. Em 2010, foi contemplado com a Sala Especial no 29º Arte Pará, como artista homenageado do salão. Em 2011, participou da 16ª Bienal de Cerveira, Fundação Bienal de Cerveira (Portugal); III Bienal do Fim do Mundo, em Ushuaia (Argentina). Em 2012, realizou as exposições Abalo sísmico, no Museu Nacional da República (DF); Amazônia: lugar da experiência, no Museu da Universidade Federal do Pará (PA). Em 2013, realizou Rotas: desvios e outros ciclos, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Fortaleza (CE).

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Pinterest