Publicado em: 01/10/2019

A Kamara Kó Galeria abre no próximo domingo, 6 de outubro, durante a programação da 28ª Edição do Circular Campina Cidade Velha, a exposição “POC – Perfeita aos Olhos de Cristo”, de Rafael Bqueer, com curadoria de John Fletcher. A exposição marca a estreia do Projeto “Experiência Curatorial”, e na abertura, o artista também apresentará sua performance “Montação”.  Entrada gratuita.

Experiência Curatorial é mais uma das iniciativas que a Kamara Kó Galeria vem desenvolvendo em busca de incentivar a cadeia produtiva e o mercado das artes visuais no país, a partir de suas experiências em Belém. O projeto consiste em convidar o curador para montar uma exposição. Ele escolhe o artista com quem gostaria de trabalhar.

Quando recebeu o convite da galerista Makiko Akao, John Fletcher diz que não teve dúvida em trabalhar com Rafael Bquuer (Rafael Bandeira), que já conhecia de um grupo de pesquisa, de quando ainda fazia mestrado, no PPGArte, da Universidade Federal do Pará.

“Já fazíamos um trabalho colaborativo desde lá. O meu primeiro trabalho curatorial foi com ele, quando ainda se vestia de Alice. Depois ele saiu de Belém, fez uma residência artística em Nova York, mas sempre entra em contato e estou sempre acompanhando o trabalho dele”, continua.

Rafael Bqueer é um dos mais emblemáticos artistas da nova geração paraense. Transitando por diversas linguagens, pensando o corpo em seu contexto social, urbano, e suas territorialidades dissidentes locais e globais, Rafael busca confrontar narrativas históricas e contemporâneas a partir do estudo da performance, sexualidade e descolonização.

“Eu e John já trabalhamos juntos em outra exposição, ele fez a curadoria de uma exposição minha em 2015, na minha primeira individual. O conheci quanto pesquisador quando eu ainda estava na faculdade de Artes, na UFPA. Desde então somos amigos e parceiros de trabalho”, conta Rafael.

As sete imagens que integram a exposição POC foram encontradas nas redes da Internet, e reprocessadas pela interferência digital, de maneira a criar intertextualidades com o universo da Pop Art americana, de Andy Warhol, com seus retratos reproduzidos em silk screen.

“São pinturas digitais com referência na pop ART, inserindo grandes ícones afro-LGBTQ+brasileiras. São trabalhos recentes, que desenvolvi durante uma residência artista que fiz esse ano em Nova York, com objetivo de resgatar a história e a importância das narrativas Afro-Brasileiiras, dentro da comunidade LGBTQ”, diz Rafael. “Esse trabalho é um experimento com a arte urbana. Anteriormente eu usei a técnica de lambe-lambe e espalhei algumas imagens pelo Brooklyn, agora estou expondo pela primeira vez em uma galeria de arte”, complementa.

A performance do artista traz a selfie como registro do seu processo de montação, sua demonstração e até a abstração de sua própria imagem, discutindo um enfrentamento contra a hetero-norma e os padrões de beleza da indústria, em busca de outras subjetividades e representações para as bixas pretas dentro da arte.

“Montação traz um pouco do meu processo de maquiagem quando bixa preta e drag Queen. O processo de pintura e transformação do rosto. Dialogando com a arte do transformismo como uma arte de fala política, de questionamento sobre gênero, sexualidade”, diz o artista.

Rafael Bquuer está em um momento especial em sua carreira. Depois de participar de exposições importante em Belém ainda durante a graduação, como o Salão Primeiros Passos do CCBEU, Pequenos Formatos, na Unama e Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, esse ano ele também estará no Salão Arte Pará.

Artista finalista do prêmio EDP nas Artes – Instituto Tomie Ohtake- SP (2018), Rafael participou do curso “Formação e deformação”, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage- RJ (2018) e foi selecionado pela EAV Parque Lage para a bolsa de residência Artística na AnnexB em Nova York (2019).

Artista indicado para a 7º edição do Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas – SP (2019), ele também realiza pesquisas como Drag Queen, com sua persona Uhura Bqueer, e acaba de receber o Prêmio FOCO Art Rio 2019.

Serviço

Exposição “POC – Perfeita aos Olhos de Cristo”, com abertura às 10h, no domingo, 6 de outubro. E Performance; “Montação”, às 16h.  Na Kamara Kó Galeria  – Trav. Frutuoso Guimarães, 611, entre Riachuelo e General Gurjão.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *