Publicado em: 11/11/2019

O trabalho artístico, político e performático de Rafael Bqueer é o foco de um bate papo que será realizado no dia 16 de novembro, às 10h, na Kamara Kó Galeria, onde segue em cartaz a exposição “POC – Perfeita aos Olhos de Cristo”. Na ocasião, o público também poderá conferir o vídeo da performance “Montação”, gravado ao vivo no dia do vernissage. Entrada gratuita.

O corpo em seu contexto social, urbano e suas territorialidades dissidentes locais e globais. Rafael Bqueer confronta narrativas históricas e contemporâneas a partir do estudo da performance, sexualidade e descolonização. O artista não estará em Belém, mas entrará ao vivo, via Skype, no bate papo.

A mediação é do curador da exposição John Fletcher, professor de  Artes Visuais da UFPA. Também participam da conversa, Matheus Aguiar, produtor cultural, artista visual, designer e drag (S1mone), e Carol Abreu, Técnica de Audiovisual e Artes Visuais, responsável por alguns recortes da galeria do Sesc Ver o Peso, onde o artista também expôs recentemente.

“Desde que conheci Rafael, percebi o potencial dele para desenvolver seu pensamento em torno da arte, provocando relações do queer como construção e performance narrativa, provocando discussões entre gênero, sexualidade, política e racismo”, diz Carol Abreu.

Neste momento em que a luta contra o preconceito legitimado no país tem se intensificado, o trabalho de Rafael se torna mais do que nunca, político.  “É por meio da arte e de seu corpo que o Rafa encontrou sua forma de se expressar, de manifestar. O corpo é potência, é presença, é político e social. É significativo afirmar essa voz, da discussão de gênero. Fomentar discussões acerca dessa temática, e garantir o respeito à diversidade, comenta.

Indicado para a 7º edição do Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas – SP (2019), ele também realiza pesquisas como Drag Queen, com sua persona Uhura Bqueer. Finalista do prêmio EDP nas Artes – Instituto Tomie Ohtake- SP, em 2018, Rafael participou do curso “Formação e deformação”, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage – RJ, pela qual foi selecionado para a bolsa de residência Artística na AnnexB, em Nova York , este ano.

“Tive o prazer de contribuir com o trabalho do Rafael. Isso, para mim, representa uma fuga como designer, é uma ferramenta de guerrilha e esse trabalho que fizemos juntos, que vem falar das manas pretas LGBT, como Madame Satã, Leona, Marcia Pantera, entre outras, tem uma importância maior que estética, é uma importância politica muito seria”, finaliza Matheus.

Serviço

Bate Papo sobre o trabalho do artista visual paraense Rafael Bqueer, no sábado, 16 de novembro, às 10h, na Kamara Kó Galeria. Participação de Matheus Aguiar e Carol Abreu, com mediação de John Fletcher. Trav. Frutuoso Guimarães, 611, entre as ruas General Gurjão e Riachuelo – Campina. Entrada gratuita.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *